61 3711-7106

Assine nossa Newsletter

Entrada Inválida

 

 

Caqui

Nome Popular: Caqui
Nome científico: Diospyros kaki
Família: Ebenaceae
Categoria: Doce

O caqui (Diospyrus kaki), da família das Ebenáceas, é originário da Ásia e cultivado há séculos, na China e no Japão. O seu nome científico o identifica como alimento dos deuses – DIOS = deuses e PYRUS = alimento.

HISTÓRIA DO CAQUI

Natural da China e do Japão, o caqui é uma fruta milenar [...]. Ele foi trazido para o Brasil pelos imigrantes japoneses que aqui chegaram em 1916, e se ambientou muito bem ao clima e solo paulista e da região sul do país. Planta  rústica e vigorosa, ela pode produzir, segundo relatos a respeito, por até 40 anos, o que irá depender dos corretos tratamentos culturais e fito-sanitários.

O CAQUIZEIRO

Em alguns casos o caquizeiro consegue alcançar de 10 a 12 metros de altura. Ele possui copa arredondada, ramificação profusa com folhas verdes brilhantes que caem no inverno, e flores de coloração branco-amarelada que surgem nas axilas das folhas no período da primavera e no verão. As masculinas são pequenas (0,8 a 1,8 cm de comprimento) e encontram-se reunidas em cachos de três a cinco flores; as femininas são maiores (1,5 a 2,5 cm de comprimento) e solitárias; as hermafroditas, mais raras, surgem sempre associadas às flores masculinas. No entanto, os caquizeiros podem, em alguns casos, ser considerados plantas dioicas (produzem apenas flores masculinas ou femininas) e em outros casos monoicas (produzem flores de ambos os sexos).

O desenvolvimento inicial do caquizeiro é lento, razão pela qual sua maturidade pode ser alcançada apenas entre os 7 a 8 anos. O que ele compensa com a boa produtividade que se estende por longo período. Sua frutificação ocorre do final do verão ao outono, com picos de produção nos meses de março e abril. Algumas variedades possuem tendência para produzir frutos sem sementes.

O caquizeiro é cultivado no Brasil principalmente nas regiões Sul e Sudeste, com destaque para os estados de São Paulo, Paraná, Rio Grande do Sul e região sul de Minas Gerais. O período de produção acontece entre fevereiro/julho, com pico nos meses de abril/maio. A produção do fruto se destina principalmente ao consumo da fruta fresca.

O FRUTO

O caqui é um fruto simples, carnudo, que não se abre naturalmente na maturação. Com mais de uma semente, é levemente achatado, de cor vermelho-laranja e polpa viscosa, vermelha e adocicada envolvendo as sementes achatadas e de coloração castanha. Essa polpa de aparência gelatinosa e fria concentra quantidade considerável de fibras, além de bons níveis de caroteno (vitamina A), vitaminas dos complexos B [tais como: B1, B2, B5, sendo esta rica em proteínas, contendo também vitamina E] e vitamina C, minerais como ferro, fósforo e cálcio, além de teor de açúcar – entre 14 e 18% – que supera o da maioria das frutas de consumo popular.

Vitamina A: É indispensável à boa visão, conserva a saúde da pele, auxilia no crescimento, evita infecções, atua beneficamente no sistema nervoso e vias respiratórias e ajuda na formação do esmalte dos dentes. [...].

Vitamina B1: É um tônico cardíaco e regula a capacidade mental, é por isso que a falta dela diminui a capacidade mental (o álcool é o maior destruidor de vitamina B1 no nosso organismo);  a vitamina B1 ajuda também a regular o sistema nervoso e digestivo.

Vitamina B2: É importante para o metabolismo e funções orgânicas do fígado e coração. O consumo é importante, pois evita distúrbios oculares como catarata e glaucoma (também em conjunto com as vitaminas A, B1, C e a celulose, todos encontrados no caqui); evita ainda a queda de cabelos.

Vitamina B5: Atua no crescimento, no sistema nervoso e cerebral, mantém o bom desempenho do sistema digestivo, atua na circulação sanguínea, reduz o nível de colesterol do sangue, é necessária ao metabolismo das gorduras, proteínas e açúcar, combate o mau hálito, é necessária para o metabolismo do enxofre.

Vitamina C: indispensável aos ossos e gengivas. Auxilia na função glandular, combate infecções, fortalece o sistema imunológico, evita a formação de nitrosaminas (substância que causa câncer) etc.
Enfim, se você consumir essa fruta diariamente, muitas necessidades diárias de vitaminas, principalmente a A e outros nutrientes, serão supridas.

Vitamina E: A vitamina E é um dos mais importantes antioxidantes, pois demonstra ter efeitos contra a deterioração das células e o envelhecimento. O papel principal da vitamina E é a proteção dos tecidos do corpo, visto que tem a capacidade de fazer uma espécie de “limpeza” dos radicais livres, que destroem as membranas celulares e causam diversos danos à saúde, como o envelhecimento precoce, artrite, câncer, doenças cardiovasculares entre outras.

Proteínas: As proteínas são nutrientes presentes em todas as células que constituem nosso corpo, elas constroem e reparam os tecidos neles existentes. Além das funções construtoras as proteínas assumem ainda funções como a função reguladora, estando presentes em hormônios e enzimas reguladores dos processos fisiológicos e metabólicos ligados às atividades físicas e a função energética, fornecendo energia quando os lipídeos e carboidratos são insuficientes para satisfazer as necessidades energéticas.

Ferro: Indispensável na formação do sangue; atua como veiculador do oxigênio para todo o organismo.

Fósforo: Atua na formação de ossos e dentes; indispensável para o sistema nervoso e o sistema muscular; junto com o cálcio e a vitamina D, combate o raquitismo.

Cálcio: Atua na formação dos tecidos, ossos e dentes; age na coagulação do sangue e na oxigenação dos tecidos; combate as infecções e mantém o equilíbrio de ferro no organismo.

PROPRIEDADES MEDICINAIS

O caqui tem licopeno, um pigmento vermelho de muita importância para a saúde porque previne o câncer de próstata. Essa substância é também encontrada em maiores concentrações em alimentos como a goiaba vermelha madura, na melancia com sementes (tem maior concentração), no tomate, no pólen de abelhas etc.
Essa fruta tem propriedades calmantes, vermífugas, antianêmicas e laxativas. Combate a gastrite, previne problemas do fígado, [problemas intestinais, bexiga e cãibras], melhora as vias respiratórias [catarros], é um excelente alimento no restabelecimento de tuberculosos, desnutridos e descalcificados. Ingerir de 3 a 5 caquis por dia ao natural ou em forma de suco (sem adoçar), [...] uma hora antes das refeições ou duas horas após [é muito saudável]. Apesar de ser muito doce, a fruta também pode ser consumida pelos diabéticos. A cada 100 gramas de caqui encontramos aproximadamente 78 calorias.

O caqui é um alimento muito importante para a mulher durante a gravidez, em virtude de sua combinação perfeita de minerais e vitaminas. Ela terá uma fase tranquila durante o período de gestação, e o filho será verdadeiramente diferenciado [...].

A polpa do caqui é constituída basicamente de mucilagem (substância gomosa com qualidades nutritivas que se encontra em quase todos os vegetais, principalmente nas raízes e nas sementes) e pectina (componente natural das plantas, abundante em frutas como maçãs e frutas cítricas), responsáveis pela aparência característica da fruta.

Pesquisadores divulgaram que além de todas as propriedades presentes no caqui, ele também contém antioxidantes, o que torna a fruta uma poderosa arma contra os radicais livres. Assim, consumindo a fruta é possível prevenir doenças como diabetes, aterosclerose e inclusive o câncer, pois estas enfermidades estão ligadas à presença de radicais livres no organismo.

ARMAZENAMENTO DO CAQUI

Como o caqui tem a casca muito fina e a polpa mole, é uma fruta delicada e deve ser bem embalada para a sua comercialização. Na hora de comprar, prefira o caqui meio verde e embrulhe em folhas de jornal para amadurecer. Observe bem se a fruta não está rachada, pois nesse caso o processo de deterioração é muito rápido. Se o caqui já estiver maduro, guarde-o na geladeira.

TIPOS DE CAQUI MAIS CONSUMIDOS NO BRASIL

1- Caqui Taubaté
2- Caqui Rama Forte
3- Caqui Fuyu
4- Kyoto
5- Guiombo (tipo chocolate)

FONTE TABELA:
www.poderdasfrutas.com

Os caquis podem ser divididos em três tipos: taninoso (Sibugaki), doce ou não-taninoso (Amagaki), e variável. O caqui taninoso (que aperta e produz\ contrição) representa o grupo de caquis que possuem a polpa sempre taninosa e de cor amarelada, quer os frutos apresentem sementes ou não. O caqui doce compreende os caquis que têm a polpa não taninosa e amarelada, tenham os frutos sementes ou não. Já o caqui variável, inclui as variedades de polpa taninosa e de cor amarelada, quando sem sementes, e não taninosa, parcial ou totalmente, quando apresentam uma ou mais sementes.

FONTE DA TABELA:
www.hortibrasil.org.br
FONTES:
DIAS, Ana, A Filosofia da Intemperança, Brasília-DF: Folhas de Palmeiras, 2013, 237 p.
www.efecade.com.br/caqui/
www.morybadistribuidora.blogspot.com.br/2011/05/e-epoca-de-caqui.html
www.hortibrasil.org.br/jnw/index.php?option=com_content&view=article&id=724:e-tempo-de-caqui&catid=64:frutas-e-hortalicas-frescas&Itemid=82
www.portaldodermatologista.com/artigos/Vitamina-E-e-seus-beneficios
www.artigonal.com/nutricao-artigos/a-importancia-das-proteinas-para-o-organismo-2791688.html

Adquira já o seu... O melhor e mais completo guia sobre “Um Viver Saudável”.

 

Mídia